Soja e digestão

Se existe um alimento que sempre estará nas discussões de nutrição é a soja.

“Pela quantidade de estudos falando mal, é difícil defender a soja”.

De fato, há diversos estudos falando de possíveis malefícios da soja aos mamíferos, entretanto, é necessário analisar os materiais e métodos desses estudos.

Principalmente, considerar que a digestão da soja é diferente entre os animais, e estudos utilizando roedores como parâmetro possuem uma grande lacuna.

Falar sobre a soja de maneira geral pouco cabe em uma tese de doutorado, pois são diversas as abordagens, desde a inibição da tripsina (que será abordado aqui), fitoestrógenos, qualidade da proteína, câncer de mama e de próstata, tireoide… enfim. Por isso é importante dividir em tópicos.

A alegação de que a soja atrapalha a digestão, principalmente das proteínas é verdadeira até um determinado ponto. Quando consumida crua ou não fermentada, a soja possui maior quantidade de inibidores de tripsina.

A tripsina é uma enzima que participa na quebra das proteínas em aminoácidos. É derivado do tripsinogênio, produzido no pâncreas e liberado no intestino. No intestino o tripsinogênio é clivado em tripsina e a sua liberação depende do feedback. Ou seja, quanto mais tripsina presente no intestino, menor a liberação de tripsinogênio.

Acontece que alguns elementos da soja crua ou do extrato da soja, se ligam a tripsina impedindo que atue na hidrolise da proteína e também regulando de maneira negativa o feedback para o pâncreas.

Se a proteína não é quebrada, seu aminoácidos não serão absorvidos.

Em um estudo com roedores, a inibição da tripsina levou a uma produção anormal de tripsinogênio e maior produção de outros sucos pancreáticos e consequente aumento no tamanho do pâncreas.

Mas já é bem esclarecido que o cozimento e a fermentação da soja, bem como o consumo de proteína concentrada e/ou isolada da soja apresentam apenas traços desses inibidores.

Você encontra estudos com qualquer resultado que queira. Consegue moldar qualquer estudo para fornecer o resultado que deseja, por isso, não importa o resultado de um estudo. O que importa é como se chegou nesse resultado.

Para atletas e praticantes de atividades físicas vegetarianos, a soja é uma das principais fontes de proteína e na forma isolada tem qualidade comparada com a do leite, basta saber como e com quais alimentos consumir.

Abs, Lincoln Almeida

 

Shills – Pg 27 a 66

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.